Clínico Geral

Profissionais de odontologia restauram dentes fraturados ou cariados através da restauração  adesiva direta, ou seja, utilizam materiais da cor de dente para substituir a estrutura perdida ou ocultar pequenos defeitos, fraturas, alteração de cor, irregularidades e espaçamento entre os dentes. Os materiais restauradores são chamados de resinas compostas, pois contêm uma mistura de plástico e vidro, que proporciona dureza e translucidez.

As resinas compostas apresentam uma variedade de cores, como dos dentes, para resultados realistas. Quando a restauração é feita por uma mão habilidosa e um olhar artístico, pode ser impossível distinguir o dente restaurado de seus vizinhos. Embora essa restauração não dure tanto quanto uma restauração indireta em cerâmica, ela não requer o envolvimento de um laboratório de prótese dentária e, na maioria das vezes, pode ser feito sem o desgaste do dente. É uma boa solução para os adolescentes, que muitas vezes precisam esperar até que seus dentes se desenvolvam totalmente para que possam escolher um tipo permanente de restauração.

O processo restaurador adesivo

Por não envolver o trabalho de um laboratório dental, geralmente a restauração do dente pode ser realizada em uma única visita ao consultório odontológico. Todo o procedimento leva cerca de 30 minutos à uma hora. Em primeiro lugar, a superfície do dente a ser restaurada será limpa para que fique livre de placa bacteriana. Logo após, a área será tratada com um gel de ácido para que abra minúsculos poros na superfície do dente. Depois que o gel de ataque ácido é lavado, uma resina líquida (adesivo) é aplicada sobre essa superfície, preenchendo os minúsculos poros para criar uma forte união micromecânica. Uma luz especial de polimerização é utilizada para endurecer o adesivo. Em seguida uma camada de resina composta é aplicada sobre esse adesivo polimerizado. As camadas podem continuar a ser construídas, até que a restauração tenha a espessura necessária. Assim, a restauração é ajustada com brocas para se encaixar perfeitamente com a mordida do paciente, e em seguida, receberá o polimento final.

Cuidados com os dentes restaurados diretamente

Dentes restaurados diretamente devem ser escovados, junto com o uso diário do fio dental. Além disso, devem ser limpos profissionalmente no consultório odontológico duas vezes por ano, da mesma forma como os outros dentes. A coisa mais importante que se deve ter em mente é que a resina composta pode absorver pigmentos, apresentando alterações de cor, assim como os dentes naturais. Portanto, deve-se evitar o fumo, vinho tinto, café e chá na medida do possível.

O dente deve ser clareado antes que seja restaurado, de modo que o compósito selecionado possa combinar com a cor mais clara dos dentes clareados. Se o clareamento for após a restauração, a cor pode não coincidir com os demais. Finalmente, evite roer as unhas, manter instrumentos ou canetas na boca, ou usar os dentes para abrir embalagem ou usar de outras formas que poderiam causar força excessiva sobre o dente restaurado, ocasionando uma fratura ou queda da restauração. Com cuidado correto, um dente restaurado diretamente mantém sua função e beleza por cerca de 3 a 10 anos.

Uma coroa dental é uma cobertura que se encaixa sobre um dente danificado, fraturado ou pouco estético. Pode até mesmo substituir um dente como parte de uma prótese fixa (ponte).

A coroa cobre completamente um dente acima da linha da gengiva. Isto está em contraste com uma faceta dental, onlays e inlays, que cobrem apenas uma parte do dente e precisam da estrutura natural do dente para suportá-los. Portanto, se o dente apresenta a falta de uma parte da estrutura acima da linha gengival, uma coroa total seria a escolha correta.

54897843_xxl

As coroas fortalecem os dentes danificados, devolvendo novamente a sua função de mastigação. Quando se utiliza cerâmicas de alta tecnologia (cerâmicas odontológicas), coroas são praticamente indistinguíveis dos dentes naturais. Elas podem ainda ser confeccionadas para melhorar a aparência dos dentes.

Além da cerâmica, existem outros materiais que podem ser utilizados para confeccionar coroas totais. Para maior durabilidade, ouro fundido pode ser uma opção. No entanto, isso nem sempre é a escolha mais estética – especialmente para os dentes anteriores. Outras possibilidades são as cerâmicas fundidas e coroas metálicas (metalocerâmicas), que têm um interior de metal mais resistente e um exterior de cerâmica para uma aparência mais natural.

Confeccionando uma coroa total

Para confeccionar uma coroa total de um dente, utiliza-se, normalmente, de duas a três sessões. Na primeira sessão, o dente é preparado para receber a nova coroa, promovendo um desgaste para dar ao dente uma forma uniforme. O dente e a área circundante serão anestesiados previamente. Se houver muito pouca estrutura, o dente poderá ser reconstruído com um material de preenchimento, para suportar a coroa.

Depois da preparação do dente, é realizada sua impressão, seja de forma digital ou com materiais de moldagem, para que possa ser enviada ao laboratório de prótese dentária. Ali, as impressões serão utilizadas para fazer modelos de seus dentes para a criação de uma coroa. Os modelos vão servir como guias para os técnicos de laboratório, que irão garantir que a nova coroa seja projetada para melhorar o sorriso e seu funcionamento dentro da mordida.

Antes de sair do consultório, uma coroa temporária será fixada ao dente para protegê-lo até que a coroa permanente esteja pronta. Na segunda sessão, a coroa permanente será fixada ao dente com um cimento odontológico permanente.

Confeccionando uma prótese fixa 

As coroas também podem ser usadas para criar um substituto realista para um dente perdido. Isto é feito com pontes, a qual preenche o espaço do dente em falta e requer pelo menos a confecção de três coroas. Duas dessas coroas irão ser fixadas sobre os dentes saudáveis de ambos os lados (dentes pilares) do dente em falta. Os dois dentes pilares serão apoios para uma terceira coroa colocada entre eles; terceira coroa que é chamada de pôntico. Se mais de um dente está faltando, mais coroas serão necessárias para preencher o espaço entre os dentes pilares.

O número de dentes pilares necessários para substituir dentes perdidos é influenciado pelo número dos dentes perdidos, o tamanho e comprimento das raízes dos dentes pilares, a quantidade de suporte ósseo que cada dente pilar tem, bem como a localização do dente perdido. Por exemplo, se há três dentes ausentes, quatro dentes pilares podem ser necessários, criando assim uma ponte de sete dentes. A engenharia e o desenho da ponte requerem uma compreensão da melhor forma de substituição dos dentes, assim como a biologia da gengiva, osso e tecidos de suporte.

Cuidados com as coroas totais e próteses fixas 

Coroas e pontes exigem o mesmo cuidado que os dentes naturais. Certifique-se do uso de escova e do fio dental entre todos os dentes – restaurados e naturais – todos os dias, para reduzir o acúmulo de placa bacteriana. Evite o uso dos dentes como ferramentas (para abrir os pacotes, por exemplo). Se existe o hábito de ranger os dentes (bruxismo), deve-se utilizar uma placa de mordida, para proteger os dentes e as coroas.

Cerca de 80% das pessoas já tiveram pelo menos uma cárie antes de atingir 17 anos de idade, de acordo com o relatório publicado pela U.S. Surgeon General, em 2010. Felizmente há um tratamento bastante eficiente para combater as cavidades resultantes da cárie: as restaurações dentais.

As restaurações selam pequenos buracos no dente, ou seja, cavidades causadas pela cárie. Isso impede que a cárie (uma infecção induzida por bactérias) se espalhe ainda mais pela arcada dentária e, se não tratada, continue para a polpa (nervo), tecido sensível localizado no canal radicular.

Há uma variedade de materiais utilizados para preencher as cavidades desses dentes, mas o processo de restauração de um dente é semelhante, independentemente. O primeiro passo é um exame clínico do dente com raios-X, para determinar a extensão da degradação. Então, a área deteriorada do dente é removida, com um instrumento manual ou brocas. O dente é anestesiado primeiramente, para impedir qualquer tipo de desconforto. Em casos de nervosismo antes do recebimento de anestesias, é possível tomar uma medicação contra a ansiedade (ansiolítico) ou usando óxido nitroso, para ajudá-lo a se sentir-se mais relaxado.

Restaurações da cor do dente

Resina composta – Uma escolha popular para aqueles que não querem restaurações visíveis. A resina composta é uma mistura de plástico e vidro, que apresenta uma união à superfície do dente. É mais cara que o amálgama, e os materiais mais recentes podem ter grande duração, gerando um menor desgaste dos dentes, quando comparado ao amálgama.

Porcelana – Estas cerâmicas odontológicas são fortes, altamente estéticas, e não mancham como as resinas compostas. Eles são mais caros do que os compósitos porque necessitam do uso de um laboratório dentário ou tecnologia especializada gerada por computador. É considerada a restauração mais estética entre todos os materiais odontológicos.

Algumas pessoas sentem-se constrangidas ao sorrir devido às gengivas proeminentes. Embora haja várias definições do que faz um sorriso bonito, quando a quantidade de gengiva é demais, o sorriso geralmente será percebido como sorriso gengival – cerca de quatro milímetros do tecido gengival visível.

Causas

Os sorrisos gengivais podem ser causados por um ou mais fatores relacionados à gengiva, dentes, maxilar ou lábios. Cada uma dessas áreas vai exigir uma abordagem diferente para resolver o problema. Algumas das maneiras que um sorriso gengival pode ser corrigido são:

Gengivas: se os dentes parecem muito curtos em relação à gengiva, é provável que estejam cobertos pelo tecido gengival além do normal. Este problema pode ser resolvido com uma técnica de cirurgia plástica periodontal chamado “aumento de coroa”, que envolve a remoção e a remodelação do excesso de gengiva para expor todo o comprimento dos dentes.

Dentes: existem variações naturais no processo de erupção dental que pode resultar em dentes mais curtos do que os dentes normais. Se for esse o caso, pode-se fazer o dente parecer maior através das confecções de coroas totais, ou cobrindo-os com facetas. Também é possível que os dentes tenham sido desgastados ao longo do tempo, especialmente em casos de bruxismo. Quando isso acontece, pode causar o que é conhecido como erupção compensatória. Para compensar o desgaste e manter uma mordida funcional, os dentes começam a mover-se muito lentamente para fora, a partir da gengiva. Isso faz com que o sorriso gengival apareça, porque as gengivas, que estão ligadas aos dentes, movem-se com eles. Em alguns casos, o tratamento ortodôntico pode ser usado para mover os dentes de volta para cima para a posição correta. Em seguida, os dentes desgastados normalmente são restaurados com coroas de cerâmica ou facetas.

Lábio: em média, o lábio superior move-se 6 a 8 milímetros a partir da sua posição de repouso normal. Se o lábio apresenta uma hipermobilidade, ou seja, ele sobe muito mais acima, mais o tecido gengival será revelado. Assim, as ações dos músculos que controlam o lábio terão de ser modificadas, de modo que eles não se elevem demais. O tratamento pode variar com aplicações de toxina botulínica, a qual paralisa temporariamente os músculos (cerca de seis meses), para a cirurgia que restringe permanentemente o quão alto o lábio pode mover-se, referido como um processo de estabilização de lábio.

Mandíbula: às vezes, o maxilar superior (maxila) é muito longo para o rosto, uma condição conhecida como excesso maxilar vertical. Se este for o caso, a mandíbula terá que ser reposicionada com cirurgia ortognatia (“orto” – endireitar “gnathos” – mandíbula). De todo o tratamento, esta é a mais complexa, mas pode alcançar resultados excelentes.

Existem certos tipos de danos aos dentes que são mais difíceis para serem tratados com uma simples restauração, mas não difíceis o suficiente para precisar de uma coroa com cobertura total. Nestes casos, a melhor opção para restaurar o dente pode ser uma inlay ou onlay.

Inlays e onlays são consideradas restaurações indiretas, o que significa que são fabricadas fora da boca (geralmente em um laboratório dentário), e em seguida, cimentadas no dente pelo dentista. Isto está em contraste com uma restauração direta, que é aplicada diretamente à cavidade pelo dentista numa visita ao consultório.

Uma restauração indireta é considerada uma inlay quando se encaixa dentro de uma cavidade entre as cúspides do dente (pré-molar ou molar). Uma onlay promove a cobertura de uma ou mais destas cúspides. De qualquer forma, o procedimento de colocação de um inlay ou onlay é o mesmo.

Como funciona

Confeccionar uma inlay ou onlay é muito parecido como uma coroa total, com uma diferença importante: há um menor desgaste da estrutura natural do dente. Quando se confecciona uma coroa, o dente precisa passar por reformulação significativa, para que ele se encaixe dentro de sua nova cobertura. Já que o objetivo da odontologia é preservar o máximo da estrutura natural do dente, inlays e onlays podem ser indicadas, em vez de coroas.

Os primeiros passos para a obtenção de um inlay ou onlay é a anestesia do dente e tecidos circundante com um anestésico local, e em seguida, remover o tecido cariado. Isto é feito a fim de evitar progressão da cárie para o interior do dente.

Após a preparação do dente, a impressão é feita digitalmente ou com um material de moldagem e enviada para o laboratório de prótese dentária. Lá, a impressão é usada para fazer um modelo do dente para a criação da inlay/onlay. A restauração definitiva pode ser feita de cerâmica ou resina.

Antes de sair do consultório, uma restauração provisória será colocada no dente para protegê-lo até que a restauração permanente esteja pronta. Na segunda sessão, a restauração inlay/onlay permanente será fixada ao dente com um cimento permanente.

Inlays e onlays são restaurações fortes, duradouras, e não requerem maior nível de cuidados do que qualquer outro dente. A escovação diária, uso do fio dental e limpezas profissionais regulares no consultório odontológico cuidados necessários para ter certeza de que a restauração irá durar pelos próximos anos.

Protetores bucais

Futebol, ciclismo, handebol, basquete, rugby, esqui, surf e hipismo – além de outras – são atividades que a American Dental Association (ADA) identificou como causas potenciais de lesões dentárias.  Assim, para proteger os dentes, é indicado o uso de protetor bucal, os quais cobrem os dentes superiores evitando fraturas dentárias e danos à boca.

Todos os protetores bucais devem ser flexíveis, resistentes e não podem incomodar o atleta e atrapalhar a respiração ou a fala.

Protetores bucais feitos sob medida: são os protetores bucais mais recomendados, devido ao excelente ajuste à boca. Primeiramente é feito um molde da arcada dentária e, posteriormente, a confecção do protetor em cima do molde. Todo o processo é feito por um dentista e pode ser personalizado de acordo com  as necessidades do atleta.

A faceta laminada é uma camada ultrafina e resistente de porcelana que substitui o esmalte do dente natural. Quando unido aos dentes, as facetas podem criar uma bela superfície, com aparência natural.

Os últimos anos trouxeram avanços notáveis em tecnologia de porcelana dental. Hoje em dia, as facetas podem ser feitas com uma espessura tão fina que às vezes pode ser unido diretamente à superfície do dente existente. Em outros casos, uma camada muito fina de esmalte do dente – tão fino quanto a própria faceta – precisa ser removida para as facetas se ajustarem à nova superfície, e parecer tão realista quanto possível.

Versatilidade das facetas laminadas

As facetas podem ser utilizadas para melhorar qualquer uma das seguintes características dos dentes:

  • Cor – Os dentes podem ficar manchados pelos alimentos e bebidas que nós consumimos e até mesmo pelo envelhecimento normal. As facetas estão disponíveis em vários tons, desde o mais natural para o branco mais brilhante.
  • Tamanhos e formatos – Os dentes podem tornar-se desgastados pelo bruxismo, ou podem não ter boa forma ou tamanho. Por exemplo, algumas pessoas consideram dentes arredondados mais femininos e quadrados mais masculinos. As facetas podem ser moldadas e dimensionadas de qualquer maneira, deixando mais harmoniosas com seu rosto.
  • Alinhamento e espaçamento – As facetas podem ser usadas para fechar pequenos espaços entre os dentes (diastema) ou fazer ligeiras correções no alinhamento, melhorando a cor e a forma do dente.

Limitações das facetas laminadas

Existem algumas situações em que facetas laminadas não são indicadas. Por exemplo, se você tem os dentes significativamente desalinhados, a ortodontia pode ser uma solução mais adequada. E se você perdeu uma grande quantidade de estrutura do dente por cárie, trauma ou gravemente pelo bruxismo, recomenda-se restaurar os dentes com coroas de cerâmica que cobrem todo o dente.

Criando um novo sorriso com as facetas laminadas

É possível ver como as facetas melhorariam os dentes em uma das várias maneiras. Um modelo dos dentes pode ser utilizado para a confecção de facetas de cera, de acrílico (plástico) ou material de preenchimento da cor do dente, que serão colocados diretamente sobre os dentes para demonstrar como as facetas serão no resultado final.

Depois, os dentes serão preparados para remoção de uma pequena quantidade de esmalte, se este passo for necessário. Moldes dos dentes serão realizados e usados por um laboratório de prótese dentária especializado para criar as facetas e um conjunto temporário de facetas para usar durante os poucos dias até a chegada das definitivas. Quando as facetas chegarem do laboratório, elas serão cimentadas nos dentes.

.

Perda dentária completa ou parcial, se não tratada, não apenas afeta a autoestima de uma pessoa – como também pode aumentar o risco de desenvolver problemas nutricionais e outros distúrbios sistêmicos. Felizmente, há um método confiável para tratar esta condição: próteses totais ou parciais.

As próteses são apenas uma opção para substituir dentes perdidos; outros incluem pontes fixas e implantes dentários. Cada método apresenta suas vantagens e desvantagens, que devem ser cuidadosamente consideradas. Há também diversas variedades de próteses disponíveis para abordar questões específicas, que vão de próteses parciais, até overdentures implanto suportadas. A melhor opção depende de cada situação individual.

Como funcionam as próteses removíveis?

Próteses totais ou parciais consistem em uma base de resina acrílica, que se encaixa sobre o rebordo alveolar que anteriormente estavam os dentes. Os dentes artificiais que se projetam a partir da base são tencionados para parecer e funcionar como seus dentes naturais. As dentaduras são mantidas no lugar, principalmente pelo efeito de sucção sobre os rebordos alveolares – é por isso que é tão importante que elas sejam devidamente adaptadas e ajustadas. A dentadura superior também recebe apoio extra da grande área de superfície do céu da boca (palato), o que geralmente faz com que seja extremamente estável.

Inicialmente, uso de próteses pode exigir algum tempo para se acostumar quanto à fala e mastigação. Com o tempo, os músculos, nervos e ligamentos da boca, aprendem a trabalhar de novas maneiras, o que permite que essas funções ocorram normalmente. Dentaduras também ajudam como apoio da estrutura facial, dos tecidos moles, lábios e bochechas, o que pode ajudar a criar uma aparência mais jovem.

Tipos de próteses totais

Próteses imediatas: são usadas temporariamente para ajudá-lo a fazer a transição para uma dentadura definitiva. Devido ao reajuste muscular e a retração natural da gengiva, as próteses que são colocadas imediatamente após a extração do dente não vão se adaptar como a dentadura definitiva, confeccionada quando a cicatrização estiver completa. As próteses provisórias, no entanto, fornecem novos dentes imediatamente e tempo de adaptação.

Próteses totais convencionais: Após um período de tempo, quando as próteses imediatas estiverem adaptadas na boca, as próteses totais permanentes podem ser fabricadas. Estas são cuidadosamente preparadas para se assemelharem com dentes naturais, e são capazes de permanecerem em função na boca, corretamente, por um longo tempo.

Tipos de próteses parciais

Dentaduras parciais provisórias: essas próteses removíveis em resina acrílica são relativamente baratas, e servem como substituta. Uma vez que o processo de cicatrização pós-cirúrgica está completo, os implantes dentários podem ser colocados.

Dentaduras parciais removíveis (DPRs): essas próteses parciais removíveis com base em metais são melhores adaptadas do que aqueles feitos em resina. Elas apresentam um valor maior que as próteses em acrílico, porém menor que de implantes ou pontes fixas.

Como as próteses removíveis são feitas e ajustadas

Primeiramente, uma impressão exata (molde), é feito dos rebordos alveolares da parte superior e inferior de sua boca. A base da prótese é feita a partir deste molde em um laboratório dentário. O dentista e o protético trabalham em conjunto para escolher entre vários tamanhos e formas diferentes de dentes para recriar um sorriso com aparência natural. Quando todos estão satisfeitos com o resultado, as próteses temporárias são feitas em forma permanente.

Para permitir uma fala normal e mastigação, é fundamental o ajuste oclusal da prótese. Isto significa que as dentaduras superiores e inferiores se unem e se estabilizam adequadamente umas as outras. A adaptação e função das próteses são cuidadosamente verificadas para garantir que estejam trabalhando corretamente na boca.

O que esperar depois de começar a usar próteses?

No início, com a prótese imediata, é normal ocorrer uma retração dos tecidos e perda de osso dos alvéolos. Portanto, em alguns meses, pode-se achar que as próteses imediatas não se encaixam bem. Restam duas opções neste momento: ter as próteses imediatas realinhadas. Isto significa que um material é adicionado sob a base da prótese para melhor adaptar com os novos contornos do rebordo alveolar. Outra opção, e melhor, é mudar para um conjunto de próteses totais convencionais, que vão durar mais tempo e se adaptam melhor. Com cuidado apropriado, as dentaduras oferecem uma solução funcional, estética e econômica para o problema da perda dos dentes.

Uma boa noite de sono é essencial para a boa saúde. Faz você se sentir descansado e pronto para enfrentar o mundo. No entanto, muitas pessoas não tem o período de sono que eles precisam. Às vezes, isso está relacionado com distúrbios respiratórios do sono (DRS).

O roncador pensa estar dormindo tranquilamente, mas isso pode não ser realmente o caso. O ronco alto é um sintoma comum da Apneia Obstrutiva do Sono (AOS), que ocorre quando a via aérea superior é bloqueada ao ponto de causar uma interrupção significativa do fluxo de ar, ou mesmo nenhum fluxo de ar por 10 segundos ou mais e isso pode ser perigoso devido ocasionar a redução dos níveis de oxigênio no sangue.

Uma pessoa com apneia do sono pode acordar 50 ou mais vezes por hora – quase uma vez por minuto – sem ao menos lembrar. Estes despertares, chamados micro-despertares, duram apenas o tempo suficiente para restaurar o tônus muscular das vias aéreas de modo que o indivíduo possa respirar.

Infelizmente, os micro-despertares impedem o sono profundo e reparador. Apneia Obstrutiva do Sono é um assunto sério, pois pode levar a problemas cardíacos e outros problemas de saúde. Alguns dos sintomas da AOS são:

  • Sonolência diurna excessiva
  • Irritabilidade
  • Má memória / confusão
  • Propensão a acidentes
  • Suor noturno
  • Dores de cabeça pela manhã
  • Pressão alta
  • Obesidade

Como a odontologia pode ajudar

Ronco ou apneia do sono, às vezes, pode ser tratado com um aparelho oral odontológico que é projetado para manter a mandíbula para frente durante o sono. Este reposicionamento da mandíbula move a língua para longe da parte posterior da garganta, reduzindo o potencial de obstrução. Muitas vezes, este tratamento é testado antes de usar aparelhos respiratórios mais complicados ou cirurgia para remover o excesso de tecidos na garganta.

Somente um dentista pode confeccionar, ajustar, monitorar e tratar complicações associadas à terapia com aparelho oral para DRS. Então, caso apresente alguns dos sintomas mencionados acima, uma consulta com um profissional de odontologia é uma boa ideia.

 

Em casos de dor na região perto da orelha, mandíbula ou nos músculos do lateral do rosto, eventualmente acompanhada de estalos durante o movimento da mandíbula, você pode estar sofrendo de DTM – uma abreviatura para desordens temporomandibulares. Às vezes as pessoas usam incorretamente o termo ATM para se referir a esses problemas, quando na verdade ATM é a abreviação da articulação temporomandibular.

DTM descreve um grupo de doenças caracterizadas por dor e disfunção da ATM e / ou músculos que a cercam. Nem sempre é fácil descobrir exatamente o que está causando esses sintomas, mas a boa notícia é que a maioria dos casos de DTM se resolve com a ajuda de remédios e tratamentos caseiros. Na verdade, é importante esgotar todos esses recursos reversíveis antes de passar para algo irreversível, como próteses ou cirurgias.

As duas ATMs que conectam a maxila com a mandíbula, juntamente com osso temporal, são articulações muito complexas que permitem movimentos em três dimensões. A mandíbula e o osso temporal se encaixam perfeitamente, com um disco de amortecimento no meio. Grandes pares de músculos das bochechas e têmporas movem a mandíbula inferior. Qualquer uma destas partes – o disco, os músculos ou o próprio conjunto – pode se tornar a fonte de um problema de DTM.

Causa da DTM

Do mesmo modo como acontece com qualquer outra articulação, a ATM pode estar sujeita a problemas ortopédicos, incluindo inflamação, dores musculares, tendinites, problemas nos ligamentos e problemas do disco articular. DTM também é influenciada por genes, gênero (mulheres parecem ser mais propensas), e idade. O stress físico e psicológico também pode ser um fator. Em alguns casos, dor no maxilar pode estar relacionado a uma condição médica de indução de dor mais generalizada, como a fibromialgia.

Sinais e sintomas de DTM

Sons de estalos – Algumas pessoas com DTM ouvem estalos ou rangido proveniente da ATM ao abrir ou fechar a boca. Isso geralmente é causado por um deslocamento do disco dentro da articulação. Alguém que está ao seu lado pode até ser capaz de ouvi-lo. O estalo por si só não é um sintoma significativo porque um terço de todas as pessoas apresentam estalos nas articulações da mandíbula. No entanto, se é acompanhado de dor ou limitada função da mandíbula – a mandíbula fica presa em uma posição aberta ou fechada, por exemplo –, isso indicaria DTM.

Dor muscular – Isso pode ser sentida nas bochechas (músculos masseter) e têmporas (músculos temporal), onde os dois grandes pares de músculos de fechamento da mandíbula são localizados. Casos de dor e rigidez ao acordar são muitas vezes relacionadas a hábitos de ranger os dentes durante a noite. Esses hábitos noturnos podem melhorar com o uso de uma placa de mordida feita sob medida para diminuir a força aplicada nos dentes, que por sua vez permitirá que seus músculos relaxem e alivie a pressão sobre as articulações da mandíbula.

Dor nas articulações – Dor que está realmente vindo de uma ou ambas as articulações da mandíbula, tecnicamente seria descrita como artrite da ATM. Radiografias mostram que algumas pessoas têm ATMs artríticas, mas sem sintomas de dor ou disfunção. Outros têm sintomas significativos de dor e disfunção, mas suas articulações parecem normais em radiografias. Não há cura para a artrite em qualquer lugar do corpo, mas, às vezes, a medicação pode ajudar a aliviar os sintomas.

Alívio da dor

Depois de ser examinada, uma estratégia para o tratamento da dor pode ser desenvolvida. Às vezes uma mudança temporária para uma dieta mais macia pode reduzir o estresse sobre os músculos e articulações. Gelo e calor úmido podem ajudar a aliviar a dor e inflamação. Músculos com espasmo também podem ser ajudados com exercícios leves de alongamento. Medicamentos como anti-inflamatórios não esteroides e relaxantes musculares também podem proporcionar alívio.

Outras opções de tratamento

Casos de DTM graves podem exigir formas mais complexas de tratamento, que podem incluir ortodontia, restaurações dentárias como pontes ou procedimentos menores dentro da articulação como injeções de cortisona. É raro uma grande cirurgia ser necessária em caso de DTM.

Color Skin

Nav Mode