Endodontia

Existem situações que evidenciam o dente causador de dor ou incômodo. Em outros momentos, a sensação de desconforto é mais difusa, generalizada ou difícil de identificar. Às vezes, pode até mesmo ser um desafio em determinar exatamente qual é o problema ou a combinação dos problemas que está causando os sintomas. Este pode ser o caso de uma infecção existente na raiz de um dente, bem como no tecido gengival adjacente.

Nesta situação, a infecção pode ter começado na polpa do dente em si ou na gengiva. Com o tempo, pode ter se espalhado a de um local para o outro e agora causa um conjunto de sintomas que são difíceis de resolver. Independentemente de onde o problema começou, uma análise aprofundada será necessária antes do início do tratamento, para proporcionar a melhor chance de salvar o dente.

Os sintomas confusos

Ocasionalmente, uma dor mais insistente pode ser desencadeada por um estímulo através de mudanças de temperatura ou pressão. Esses sintomas podem indicar uma série de problemas dentários, incluindo problemas de canais radiculares e gengiva. No entanto, se o paciente consegue ignorar a dor aguda, em muitos casos, ela irá desaparecer com o tempo. Mas isso não é uma boa notícia, já que geralmente significa que o tecido infectado na polpa do dente morreu e o nervo não está mais funcionando, o que torna o problema pode se tornar mais grave.

Cuidado

Quando o tecido celular dentro do dente se torna gravemente infectado, é possível que a doença se mova através das aberturas da raiz (ápices), e para o lado de fora do dente. Podendo, em seguida, se espalhar para o ligamento periodontal, que ancora o dente no tecido ósseo e na gengiva circundante. A infecção pode estender-se para o tecido da gengiva e causar uma doença periodontal ou um abscesso doloroso.

Mas também é possível que a infecção se espalhe pelo caminho oposto. Neste caso, uma infecção que se originou na gengiva pode percorrer para pequenos lugares chamados de canais acessórios, que estão localizados nas laterais das raízes do dente. A infecção pode, então, se estender para polpa do dente. Em casos de dentes fraturados, é ainda mais fácil para a doença se espalhar.

Métodos de tratamento

Quando problemas dentários envolvem os canais radiculares e doenças gengivais, salvar o dente afetado pode ser um desafio. É importante identificar onde a infecção começou: se é um problema na raiz do dente que migrou para a gengiva, as perspectivas para o tratamento do dente são razoavelmente positivas, se receber tratamento imediato. No entanto, se a doença periodontal aparecer primeiro, as perspectivas muitas vezes não são boas, pois é possível que grande parte óssea já tenha sido perdida, fazendo com que o prognóstico do dente seja ruim em longo prazo.

Morder objetos duros, receber um golpe na boca ou apresentar grandes cavidades que enfraquecem a estrutura do dente também são causas comuns de fraturas. Mas, independentemente da causa, há uma série de sintomas que indicam se o dente pode estar quebrado. Além disso, existem vários tratamentos, dependendo da gravidade da lesão.

Pequenas lascas nas bordas ou cúspides de dentes, muitas vezes não causam sintomas, e podem ser tratados por restaurações ou outros métodos. Dentes gravemente fraturados, por outro lado, podem ser um problema sério. Quanto mais cedo forem tratados, maior a probabilidade do dente ser salvo. Atenção para os tipos de fraturas dentais e os sintomas produzidos:

Trincas menores

Às vezes, as pequenas fissuras no esmalte do dente causam pouco ou nenhum sintoma e, na verdade, a maioria não requer tratamento. Mas em casos de dor de dente, essas trincas devem de ser avaliadas e possivelmente tratadas.

Trincas verticais

Geralmente este tipo de rachadura começa na superfície da mastigação e se estende em direção às raízes – embora poça começar na raiz e continuar em direção à coroa. De qualquer maneira, não separa completamente o dente em duas partes. Dependendo da extensão da fratura, pode-se sentir desconforto, em resposta às mudanças de temperatura ou gerar produção de dor aguda no processo de mastigação. Deste modo, o paciente não deve ignorar os sintomas, uma vez que se as trincas progredirem, a extração do dente pode se tornar necessária.

Fraturas profundas

Quando ocorrem fraturas graves, as partes distintas do dente podem ser separadas umas das outras e a polpa apresentar inflamação e dor. Esta condição requer tratamento imediato, e raramente é possível salvar o dente afetado.

O tratamento para os dentes trincados ou fraturados

O tratamento de um dente trincado depende da extensão e da gravidade do dano. Se uma pequena trinca é detectada precocemente, muitas vezes é possível vedar a fissura com materiais restauradores. Para trincas maiores que envolvem a polpa do dente, tratamento de canal é geralmente necessário. Depois disso, a estrutura visível do dente pode ser restaurada com uma coroa. Às vezes, procedimentos adicionais podem ser recomendados para tentar salvar o dente. Nos casos mais severos, no entanto, o dente terá que ser extraído.

Ocasionalmente, tratamentos de canal podem não apresentar êxito na resolução de uma infecção nos tecidos próximos das raízes de um dente. São nesses casos que o procedimento cirúrgico chamado de apicectomia pode ser recomendado. Como este procedimento é frequentemente realizado com o auxílio de um microscópio e outras pequenas ferramentas especializadas, é considerado um tipo de microcirurgia endodôntica. Envolve a remoção de uma pequena porção do ápice da raiz do dente, juntamente com qualquer tecido mole ou duro circundante que pode estar infectado.

A apicectomia pode ser indicada para vários casos, como em situações de canal bloqueado ou inacessível, uma irregularidade anatômica, uma fratura ou fissura nas raízes do dente. O procedimento normalmente é recomendado após um ou mais tratamentos endodônticos que falharam.

Antes de um procedimento de apicectomia, imagens de diagnóstico do dente afetado e osso circundante, histórico médico e outros fatores são revistos.

O procedimento de apicectomia

Para iniciar o procedimento, uma pequena incisão é feita na gengiva para que a infecção no final das raízes do dente fique exposta. O tecido infectado é então removido, juntamente com alguns milímetros da ponta da raiz. Um pigmento pode ser usado para ajudar a tornar as rachaduras ou fraturas visíveis. E caso fique evidente onde o dente está trincado, pode ser melhor extrair o dente em vez de completar a apicectomia.

Em seguida, um microscópio de luz é utilizado para examinar os pequenos canais. Eles serão limpos com um instrumento de ultrassom, em seguida, preenchido com um material inerte e sela-se com um pequeno enchimento. Para concluir o procedimento, um pequeno enxerto ósseo pode ser colocado no local afetado, e, em seguida, o tecido da gengiva que cobre a raiz do dente será suturado. Depois disso, as instruções de cuidados pós-operatórios serão fornecidas.

Após o procedimento, o paciente pode apresentar inchaço e dor na área tratada. Geralmente, anti-inflamatórios não-esteróides são necessários para controlar qualquer desconforto. É necessário evitar comer alimentos duros ou crocantes ou escovar os dentes vigorosamente durante alguns dias após o procedimento.

O objetivo: salvar o dente

Embora apicectomia seja um procedimento seguro e eficaz, há ligeiros riscos como qualquer tipo de cirurgia. É por isso que as apicectomias não são recomendadas ao menos que o tratamento do canal não seja eficaz. Um tratamento alternativo, na maioria dos casos, seria de extração do dente. No entanto, o objetivo do dentista é ajudar o paciente a preservar os dentes naturais pelo maior tempo possível.

Tratamento de canal, também chamado de endodontia, é um conjunto de procedimentos especializados projetados para tratar problemas do tecido polpa no interior do dente. Enquanto alguns erroneamente pensam nisso como um tratamento doloroso, na maioria dos casos, o procedimento não é mais desconfortável do que realizar uma restauração. Na verdade, é uma das maneiras mais eficazes de aliviar alguns tipos de dor de dente.

Um procedimento de canal radicular se torna necessário quando infecção ou inflamação se desenvolve no tecido da polpa do dente. O tecido pulpar consiste de vasos sanguíneos, tecido conjuntivo e células nervosas, o que explica por que alguns problemas podem gerar dores intensas. Com o tempo, a dor pode desaparecer, pelo menos temporariamente. Sem tratamento, no entanto, a infecção não termina. Pode conduzir a um abscesso dentário, e pode mesmo contribuir para problemas sistêmicos em outras partes do corpo.

Causas de problemas no canal radicular

Problemas de canal radicular resultam da infecção e inflamação do tecido da polpa do dente. Uma causa potencial de infecção é a cárie dentária profunda. Cáries dentárias não tratadas permitem que as bactérias sigam caminho até o centro do dente, onde podem infectar o tecido pulpar. Outro caminho pelo qual as bactérias podem entrar em contato com a polpa é através de dentes trincados ou fraturados. Qualquer abertura no revestimento de esmalte protetor tem o potencial de permitir que as bactérias tenham acesso à polpa do dente.

Trauma dental também é uma das principais causas de danos no tecido pulpar. Neste caso, é essencial procurar tratamento imediatamente, tanto para tentar salvar o dente, como para evitar problemas futuros.

O que esperar durante o tratamento de canal

O tratamento de canal é um dos procedimentos mais rotineiros e eficazes dos tratamentos dentários e muitas vezes podem ser realizados em apenas uma visita ao dentista.

O processo de tratamento de canal geralmente começa da mesma forma que uma restauração, e sem maior desconforto: um anestésico é administrado no dente e a região circundante. Para muitos pacientes, o pior já terminou.

Em seguida, uma pequena abertura é feita na superfície do dente afetado para dar acesso à câmara pulpar e canais radiculares. Minúsculos instrumentos são utilizados, algumas vezes com o auxílio de um microscópio, para remover o tecido pulpar de dentro dessas passagens estreitas do canal radicular. A câmara e canais vazios são limpos, desinfectados, e preparados para serem preenchidos com material inerte e biocompatível. Finalmente, uma restauração é realizada para selar a abertura no dente, e prevenir uma infecção futura.

Após o tratamento de canal, o dente pode apresentar alguma sensibilidade ou dor por alguns dias. Geralmente, analgésicos são eficazes no alívio da dor e medicamentos de prescrição podem ser dados se necessário.

O que é um tratamento de canal?

Dentistas usam o termo canal radicular ao referirem-se as pequenas e estreitas passagens que se ramificam a partir de um espaço central, oco no dente até as extremidades das raízes. O termo também pode ser utilizado como uma abreviatura para tratamento endodôntico. Isto é, o procedimento utilizado para salvar o dente se o tecido mole profundo no interior do mesmo (polpa) torna-se infectada de forma aguda ou crônica.

Por que preciso de um tratamento de canal?

Se a polpa do dente torna-se agudamente inflamada ou infectada devido à deterioração ou lesão, o tecido terá de ser removido, a fim de salvar o dente e fazer com que a infecção não se espalhe.

Existe uma alternativa?

O dente pode ser extraído, mas é sempre melhor tentar salvá-lo, uma vez que o tratamento de canal é uma rotina e tem uma elevada taxa de sucesso. Salvando o dente pode-se evitar que outros problemas ocorram mais tarde, como problemas de posicionamento dos dentes, dificuldade para comer, e perda de volume e densidade óssea dos maxilares.

Tratamento de canal é doloroso?

O tratamento de canal pode ter uma má reputação, mas provoca menos desconforto que uma restauração. As infecções que fazem o tratamento necessário, em primeiro lugar são muitas vezes dolorosas, porque elas estão inflamando tecido com muitos nervos e, portanto, é muito sensível. O tratamento de canal, alivia a dor.

O que vai acontecer durante o procedimento?

Depois da anestesia, um pequeno buraco na coroa do dente é feito para acessar a câmara pulpar e os canais. O tecido doente é removido, e a câmara pulpar e os canais são desinfectados até ao final da raiz. Dentes anteriores da boca tem uma raiz e, geralmente, um canal. Já os dentes posteriores têm duas ou três raízes e geralmente três ou quatro canais. Esses canais e da câmara pulpar são preenchidos com um material inerte e biocompatível, e selados com um cimento. O orifício de acesso receberá uma restauração temporária.

O que vai acontecer depois?

O dente pode permanecer sensível por alguns dias, mas qualquer desconforto pode ser aliviado com medicação para a dor ou anti-inflamatórios. O paciente será instruído a evitar mastigar sobre o dente até que receba uma restauração permanente.

Como posso evitar a necessidade de tratamento de canal no futuro?

Mantenha seus dentes livres de cárie, escovando e usando o fio dental todos os dias. Ter uma dieta saudável, com pouco açúcar e evitar bebidas ácidas, como refrigerantes. Faça limpezas profissionais regulares e exames. E em casos de prática de esportes, é necessário considerar o uso de protetor bucal feito sob medida para proteger os dentes de uma lesão.

Color Skin

Nav Mode